Julho 02 2008

 

"Se ao que busco saber nenhum de vós responde,
Por que me repetis: "vem por aqui?"
Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos a ir por aí...”
 
 
 
"Como, pois, serei vós
                                                                 Que me dareis machados, ferramentas e coragem
                                                                                              Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avôs,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os Abismos, as Torrentes, os Desertos...”
 
 
 
 
"Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“Ninguém me diga: "vem por aqui!"
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se levantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou,
Sei que não vou por aí!"
 
 
publicado por grandesofa às 03:28
Tags:

pesquisar
 
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25

27
31


Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25

27
31


blogs SAPO